Florestas de Araucária

A Grande Reserva Mata Atlântica abriga remanescentes de um ecossistema símbolo do sul do Brasil: a floresta dominada pelas pré-históricas Araucárias, que já estavam presentes no período Jurássico (há mais de 200 milhões de anos). Esta formação vegetal está bem adaptada ao clima frio com geadas e compartilha o espaço com campos naturais e seus afloramentos rochosos. As florestas de araucária são provavelmente o ecossistema mais ameaçado da Mata Atlântica, é o principal habitat para o papagaio-de-peito-roxo (Amazona vinacea) em risco de extinção.

Campos de Altitude e Matinha Nebular

São ambientes típicos do topo das montanhas da Serra do Mar. Condições físicas rigorosas como altitude, baixas temperaturas e ventos fortes impedem o estabelecimento de florestas, mas se engana quem pensa que isso restringe a natureza local. Na realidade, propicia uma alta diversidade de gramíneas e pequenas árvores, muitas das quais são endêmicas destes habitats. Vistas deslumbrantes esperam por alpinistas que se aventuram nestes ambientes!

Floresta de Montanhas

Logo abaixo dos habitats anteriores, a combinação de temperaturas mais amenas, ventos mais fracos e alta umidade dá lugar a essas intrigantes florestas, onde árvores de porte médio são cobertas por epífitas, como orquídeas e bromélias. Essas florestas abrigam minúsculas rãs endêmicas e coloridas do gênero Brachycephalus e agem como fontes de água para milhões de pessoas.

Floresta de Encosta e Planície

Abaixo de 800 metros, onde as encostas se tornam menos íngremes, a combinação de ricos solos com a alta precipitação permite o estabelecimento de um impressionante conjunto de grandes árvores que abriga um dos habitats mais biodiversos do mundo. Essas florestas de terras baixas são tão impressionantes e espetaculares quanto as da Amazônia, e mostram até  maiores concentrações de grandes mamíferos e aves.

Rios e Cachoeiras

A Grande Reserva Mata Atlântica abriga inúmeros rios, remansos, cachoeiras e saltos, que serpenteiam a floresta trazendo vida, movimento e frescor. Eles fornecem espaço para atividades recreativas aquáticas, como banho, rafting e caiaque. A água cristalina e abundante ao longo do ano todo é garantida pela floresta que a protege e permite qualidade para abastecer as cidades da região.

Pântanos, Brejos e Lagoas

Onde as águas correntes perdem velocidade, muitos pântanos e lagoas se formam em torno de rios e nascentes. São áreas prioritárias para conservação, hospedando muitos anfíbios e répteis. Além disso, um desses habitats abriga a única população conhecida do bicudinho-do-brejo (Formicivora acutirostris), espécie ameaçada de extinção. Essas áreas úmidas são essenciais dentro do ciclo da água, atuando como reservatórios e sistemas purificadores.

Baías e Manguezais

Esta região abriga várias grandes baías estuarinas, nas quais a abundante água doce produzida nas florestas se encontra com as águas salgadas oceânicas. Este é o reino dos manguezais compostos por árvores resilientes, cujas raízes são adaptadas às marés e à alta salinidade. A combinação de nutrientes com abrigo transforma os manguezais em um ecossistema altamente produtivo e um berçário essencial para a vida marinha. Um passeio de barco por essas vastas baías selvagens é uma experiência inesquecível, repleta de guarás, espécies de golfinhos e papagaios-de-cara-roxa.

Restinga, Dunas e Praias

Restingas são florestas costeiras que crescem em solos arenosos com forte influência marítima. Estão entre os ecossistemas mais ameaçados devido à grande opressão exercida pela construção civil. A fronteira entre restingas e florestas de planície serve como habitat para o endêmico mico-leão-de-cara-preta. As áreas de dunas presentes no decorrer da costa oferecem um ambiente dinâmico, importante para as espécies nativas e espaço de lazer para as pessoas. A região abriga excelentes praias para o desfrute de qualquer visitante, e estas também servem como local de nidificação para as tartarugas-verdes.

Oceano e Ilhas

O Oceano Atlântico encontra nesta região uma de suas porções mais ricas. O grande número de estuários e baías garante um estoque de vida marinha com espécies raras e também a possibilidade de realizar mergulho e pesca esportiva. A Grande Reserva Mata Atlântica inclui a plataforma marinha até 50 metros de profundidade e todos os seus ecossistemas e arquipélagos.

Fotografias por Markus Mauthe, Lucas Pontes, Zig Koch, Reginaldo Ferreira, Marcos Amend & Acervo Associação MarBrasil